os seus recursos. os seus limites os seus recursos. os seus limites os seus recursos. os seus limites os seus recursos. os seus limites os seus recursos. os seus limites os seus recursos. os seus limites

Semana Europeia da Mobilidade – a pé

OpiniãoCarlos Cupeto

————–
a pé
por Carlos Cupeto in otrosmundos.cc

Só os nossos passos nos levam aos locais mais belos e remotos mesmo que sejam ao lado da nossa casa.

As vantagens do comboio em relação aos transportes rodoviários são óbvias, e claras. A bicicleta assume-se cada vez mais como veículo solidário. Scooters e motos de baixo consumo, com catalisador ou mesmo eléctricas são uma alternativa a considerar. Todavia, é no caminhar que o homem é mais natural. Andar a pé é a melhor, mais simples e salutar das atividades físicas.

Há alguma forma melhor de viver uma cidade do que percorrê-la a pé?

Por que razão estamos esquecidos de andar a pé? Por que nos levaram a esquecer a possibilidade de caminharmos 2, 3 ou mais quilómetros até ao emprego ou escola?

O curioso é que se criam novas acessibilidades, parques de estacionamento, corredores bus, etc. E o peão? O que se faz nas terras do Tejo, e nas outras,  que convide as pessoas a caminharem? Faltam iniciativas que visem criar condições para as pessoas andarem pelas cidades.

Aqui ao lado, em Vitoria – cidade basca com cerca de 200 000 pessoas – é possível percorrer a cidade, dos novos bairros ao centro histórico, por corredores pedonais com todas as condições de segurança, conforto e “privilégio”. Se é possível em Vitoria porque não o é nas nossas terras?

Investimos muito no automóvel, encurtamos as distâncias percorridas a pé, ao estacionarmos à porta do destino, e depois pagamos (e bem) para frequentar o ginásio.

Introduzir algumas mudanças nos nossos hábitos é um passo decisivo para melhorar a qualidade de vida. Qualquer exercício é bom quando se pratica regularmente – aumenta a capacidade pulmonar, melhora a utilização da glicose, diminuiu as gorduras corporais e a atividade do sistema nervoso, baixa a pressão sanguínea em repouso, diminui a tensão muscular, reduz a ansiedade e aumenta a auto-estima.

Por sorte, caminhar pode fazer parte da nossa vida quotidiana e não há exercício físico mais rentável no que respeita à saúde. Nenhuma outra atividade física proporciona tantos benefícios no organismo  com tão pouco esforço. Por isso, caminhar não é uma perda de tempo nem uma forma de nos cansarmos inutilmente. Depois das férias, neste regresso às rotinas diárias, assuma o propósito de andar a pé; há sempre, mas sempre, uma boa razão para o fazer.

Mais importante que a distância percorrida é a periodicidade, por isso é conveniente criar o hábito de andar.
————–