os seus recursos. os seus limites os seus recursos. os seus limites os seus recursos. os seus limites os seus recursos. os seus limites os seus recursos. os seus limites os seus recursos. os seus limites

[férias de 16 a 30 de agosto ]

TTerraadmin

WHW, goooooooooooooooooooooooooooooooooo!

Depois de um ano a correr, às vezes para coisa nenhuma, vamos andar.

Férias ativas a andar.

Há algo mais quotidiano e natural que andar?

Há alguma atividade mais simples?

Nada como andar pode contribuir para a sustentabilidade. Primeiro, para o bem estar pessoal e depois, para o bem de tudo o que nos rodeia.

É mágico, tem que se experimentar para se sentir.

Para além do divertimento, andar é conhecermo-nos. Quando me conheço, conheço o resto.

O avião leva-nos a lugares longínquos, muito economicamente, mas nada nos pode levar a sítios tão remotos e belos como os nossos passos. Passo a passo, muitas vezes à porta de casa. Desta vez não é perto de casa, há que voar até à terra celta da Escócia para pisar o West HighlandWay (WHW), ao que dizem os livros, um dos mais espetaculares trails do mundo.

Além das paisagens deslumbrantes, das montanhas e dos lagos, vamos viver coisas simples. Por força maior a mochila leva apenas o essencial, convém não falhar muito na escolha – tanto pesa o que levamos, como o que esquecemos e fica em casa. Vamos consumir melhor e menos recursos, produzir menos lixo, respeitar as pessoas e a biodiversidade.

Muitas vezes deparamo-nos com o absurdo do mundo em que vivemos; necessitamos de um rolo de papel higiénico e o mínimo que nos vendem é meia dúzia.

Tempo e espaço, esquecemo-nos do valor destes bens e corremos atrás deles. O melhor é andar, talvez assim os consigamos encontrar. A andar percebemos e sentimos o valor destes dois importantes recursos. É também por isto que andar tem um enorme valor. Só assim se explica o número de pessoas que andam, que, na primeira oportunidade, fogem da cidade e vão ao campo, ao parque. O tempo que todos os dias nos falta está aqui, está aqui à nossa mercê para contemplar, viver e sentir.

“… andara pé é sobretudo reconquistar uma certa maneira de olhar as coisas: devagar e com atenção, procurando observar, compreender e amar uma região que é o documento exemplar de uma aliança entre o Homem e a Natureza …” (Eduardo Osório Gonçalves, Arqtº)

Caminhar sempre fez parte da história do Homem, por isso, vamos a favor dessa história e não deixamos que se torne apenas uma memória. Tudo nos convida a isso.

Até já!