os seus recursos. os seus limites os seus recursos. os seus limites os seus recursos. os seus limites os seus recursos. os seus limites os seus recursos. os seus limites os seus recursos. os seus limites

Acondicionamento de resíduos de baterias e acumuladores

ResíduosTTerra

De forma a assegurar a proteção da saúde humana e do ambiente, o n.º 1 do Artigo 21.º-A do Decreto-lei n.º 73/2011, de 17 de Junho, estabelece que a produção, a recolha e o transporte de resíduos perigosos, bem como o seu armazenamento e tratamento, deverão ser realizados em condições que permitam a garantia da rastreabilidade desde a produção até ao destino final.

O n.º 2, do Artigo 21.º-A deste decreto-lei refere ainda que a operação de mistura, incluindo a diluição, de resíduos perigosos com outras categorias de resíduos perigosos ou com outros resíduos é proibida, salvo em casos devidamente autorizados.

O DL 73/2011 define como resíduo perigoso, os resíduos que apresentam uma ou mais das características de perigosidade constantes do anexo III. Desta forma, as pilhas e acumuladores de chumbo, níquel-cádmio e de mercúrio, devido ao seu carácter tóxico, são classificados como resíduos perigosos (classificação na Portaria 209/2004, de 3 de Março, que publica a Lista Europeia de Resíduos).

O Decreto-lei n.º 6/2009, de 6 de Janeiro, estabelece o regime de recolha, tratamento, reciclagem e eliminação dos resíduos de pilhas e de acumuladores. Em consonância com os objectivos definidos na Diretiva 2006/66/CE, de 6 de Setembro, o DL 6/2009 reitera a necessidade de redução da quantidade de substâncias perigosas incorporadas nas pilhas e acumuladores, em especial o mercúrio, o cádmio e o chumbo e prevê o reforço da recolha seletiva, bem como o aumento da reciclagem.

No que diz respeito ao acondicionamento destes resíduos, o n.º 5 do Artigo 10º do DL 6/2009, define que os resíduos de baterias e acumuladores devem ser acondicionados em recipientes estanques, com uma composição que não reaja com os componentes dos referidos resíduos, e armazenados com o líquido no seu interior e na posição vertical, com aberturas fechadas e voltadas para cima.

A importância do acondicionamento dos resíduos de baterias, pilhas e acumuladores, deve-se, como já referido, à presença de metais pesados como o mercúrio, o cádmio e o chumbo, que dado o seu carácter tóxico podem representar um risco grave, agudo ou crónico para a saúde. Complementarmente, refere-se ainda, que algumas pilhas e acumuladores apresentam na sua composição ácido sulfúrico (H2SO4), e como é sabido, trata-se de um ácido muito corrosivo.

Face ao exposto, no acondicionamento dos resíduos de baterias, pilhas e acumuladores, deve-se garantir, para além da rastreabilidade destes resíduos, a estanquicidade e a robustez do sistema de acondicionamento assim como a resistência química aos materiais que acondicionará.

A TTerra poderá indicar as melhores soluções para o acondicionamento dos resíduos de baterias, pilhas e acumuladores. Contacte-nos.