os seus recursos. os seus limites os seus recursos. os seus limites os seus recursos. os seus limites os seus recursos. os seus limites os seus recursos. os seus limites os seus recursos. os seus limites

Planos de Segurança da Água

Informações Úteis, Recursos HídricosMonica Brito

No decurso da Directiva de Conselho 98/83/EC relativa à qualidade da água para consumo humano, a Organização Mundial de Saúde (OMS) publicou a 3ª edição do relatório Guidelines for Drinking Water Quality as quais são utilizadas como base para aplicação dos requisitos constantes da mesma directiva. Neste enquadramento, os estados deverão monitorizar a qualidade da água fornecida aos seus consumidores bem como a que é utilizada na indústria alimentar e reportar essa informação. Actualmente a Directiva obriga à determinação de 48 parâmetros (2 microbiológicos, 26 químicos e 20 indicadores) e está actualmente em processo de revisão podendo vir a incluir futuramente questões de análise e gestão de risco associadas a contaminação biológica e química e aos materiais de construção em contacto com a água.

Os conceitos de análise e gestão de risco, desde o processo de captação até ao consumidor, foram introduzidos em 2004 pela OMS no âmbito dos Planos de Segurança da Água (PSA). A implementação destes Planos de Segurança implica que a monitorização da qualidade da água para consumo humano passe a ser efectuada ao longo de todo o ciclo de produção/distribuição e não apenas como avaliação de fim de linha, privilegiando uma abordagem preventiva com aplicação de medidas de controlo operacional para condições de rotina e resposta a emergências.

Em Portugal, actualmente são apenas 3 as entidades gestoras que possuem implementando este plano (Águas do Algarve, Cavado, Douro e Paiva) sendo que, o PSA das Águas do Cavado é já um exemplo internacional com evidência de eficácia na redução e controlo dos riscos identificados. No presente caso existe uma análise de risco em todo o sistema, com procedimentos de controlo e monitorização contínua, aplicados a todo o sistema, efectuados por telegestão, inspecção visual ou medições on-line.

Em geral, para a maioria dos sistemas de abastecimento, o controlo de qualidade da água distribuída é efectuado nos pontos de entrega e para os valores paramétricos constantes das normas legais vigentes. Esta metodologia tem garantido padrões de qualidade adequados embora, apresente sérias limitações, tal como se afirma no Guia do IRAR  de 2005, nomeadamente:
– Limitada correlação entre os indicadores biológicos adoptados e os agentes patogénicos efectivamente presentes na água;
– Os agentes patogénicos presentes na água apresentam diferentes capacidades de resistência à desinfecção pelo que por vezes a cloragem poderá revelar-se insuficiente;
– Os métodos analíticos de análise dos parâmetros microbiológicos não são suficientemente expeditos para permitir a prevenção de eventuais situações de emergência que possam surgir;
– Os volumes de água utilizados na amostragem são relativamente reduzidos face ao volume total distribuído limitando a significância estatística dos resultados obtidos;
– A frequência de amostragem adoptada nos sistemas de abastecimento público dificilmente assegura uma adequada representatividade espacial e temporal.
Estas limitações justificam as recomendações da OMS para a implementação do PSA, a fim de garantir a qualidade do serviço prestado por recurso a técnicas de avaliação e controlo de riscos em pontos críticos do sistema e práticas de boa operação dos mesmos como complemento à metodologia actual de verificação da conformidade.

A TTerra está consciente da crescente necessidade em assegurar a fiabilidade dos actuais sistemas de abastecimento público de água no que respeita à quantidade e qualidade da água distribuída. A nossa equipa técnica dispõe de todas as valências técnicas necessárias para prestar apoio na elaboração e implementação dos referidos Planos ou para quaisquer esclarecimentos necessários.

Consulte-nos (sem qualquer compromisso)!

Para mais informações:
TTerra – Engenharia e Ambiente, Lda.
Tel.: 214 53 73 49 | Fax: 266 750 439| www.tterra.pt | mail@tterra.pt | tp@tterra.pt