os seus recursos. os seus limites os seus recursos. os seus limites os seus recursos. os seus limites os seus recursos. os seus limites os seus recursos. os seus limites os seus recursos. os seus limites

Levantamento da Ocupação do Solo do Concelho de Mafra – um contributo dos SIG para a sustentabilidade do Concelho

Gestão Ambiental, Projectos TTerra, Sistemas de Informação GeográficaPaulo Ribeiro

Nos últimos anos, Portugal tem vindo a ser um dos países Europeus mais afectados por incêndios florestais. Apresenta recorrentemente uma das maiores percentagens de área de floresta ardida. Segundo dados recentes da Autoridade Florestal Nacional (AFN), entre 2000 e 2009, mais de 1.500.000 ha de espaços florestais portugueses foram afectados por fogos, em consequência de cerca de 250.000 ocorrências registadas nesse período. Esta década traduziu-se, portanto, numa média anual de 150.000 ha de área ardida, correspondentes a 25.000 ocorrências/ano. Este valor encontra-se ainda longe da meta estabelecida no Plano Nacional da Defesa da Floresta Contra Incêncidos (PNDFCI), que aponta como média máxima 100.000 ha/ano ardidos.
O património florestal nacional, por diversos aspectos, assume um papel preponderante no desenvolvimento sustentável do país. Deste modo, o problema dos fogos florestais tem mobilizado diversos agentes, das mais variadas áreas de intervenção: a política de defesa da floresta contra incêndios, pela sua vital importância para o País, não pode ser implementada de forma isolada, mas antes inserindo-se num contexto mais alargado de ambiente e ordenamento do território, de desenvolvimento rural e de protecção civil, envolvendo responsabilidades de todos, Governo, autarquias, organismos, cidadãos. (…)

Para descarregar e ler a versão integral deste artigo publicado na edição nº65 da revista Indústria & Ambiente, de Dezembro de 2010, clique aqui: Artigo I&A nº65 – Levantamento da Ocupação do Solo do Concelho de Mafra.