os seus recursos. os seus limites os seus recursos. os seus limites os seus recursos. os seus limites os seus recursos. os seus limites os seus recursos. os seus limites os seus recursos. os seus limites

Controlo de plantas infestantes nos taludes das lagoas de retenção dos efluentes pecuários

Gestão Ambiental, Informações ÚteisMaria Joao Figueiredo

Nesta altura do ano em muitas explorações há a necessidade de desmatar as plantas infestantes que se encontram nos taludes das lagoas de retenção dos efluentes pecuários. Pretende-se dar a conhecer as práticas passíveis de serem utilizadas no controlo das plantas infestantes nos taludes destas lagoas.

lagoa

Soluções

  1. corte da vegetação: para o corte da vegetação poderá recorrer-se a meios mecânicos, por ex. roçadeira. Durante o corte deverá garantir-se que as plantas não caem para dentro das lagoas. Após o corte a área deverá ser limpa e todo o material recolhido. Trata-se do método com menor impacte ambiental.
  2. queimador a gás: só poderá ser utilizado no caso de taludes que não se encontram revestidos com tela. Trata-se do método com pouco impacte ambiental.
  3. sal: este método é apenas aconselhado em locais onde não esteja previsto o cultivo por vários anos, porque para além de erradicar a vegetação altera a composição do solo. Também não deve ser utilizado em taludes que estejam próximos de linhas de água. Aconselha-se a aplicação da seguinte forma: dissolve-se sal grosso em água morna numa proporção de 1:3, coloca-se no borrifador e aplica-se na vegetação.
  4. herbicidas: poderão acarretar impactes ao nível do solo, água subterrânea, agua superficial, fauna e flora, dependendo do tipo de herbicida utilizado e local onde é aplicado. Caso a opção seja esta, dever-se-á recorrer a um que seja mais amigo do ambiente. Nesse sentido, no rótulo do produto deve constar a seguinte classificação toxicológica: Isento. Alguns herbicidas não são permitidos em terrenos agrícolas ou em áreas de Reserva Agrícola Nacional. As especificações sobre o herbicida utilizado e data de utilização nos taludes deverão ser fornecidas ao agricultor que recebe o efluente para valorização agrícola de forma a não comprometer o crescimento das culturas instaladas nas parcelas.